Um resto de nada...




Murmúrios imperceptíveis
Eclodem do nada
Sombras que se arrastam
Em meu redor

Estranhas vozes
Que me perseguem...

Espíritos invisíveis
Perdidos...
Que vagueiam
Sem rumo...

Estão por toda a parte
De mão estendida...

Mendigos do destino
Que lhes rogou a sorte
Na ausência da vida
Algures perdida
A caminho da morte...

Estão mortos
Só que ainda não sabem...

23 impulsos:

Kianda disse...

"Um resto de tudo" ... música que tantas vezes, durante tanto tempo me acompanhou em tantas horas de felicidade melancólica, felicidade medrosa, felicidade.. que era tão pura, tão jovem, tão inocnete, tão crédula... tao FELIZ ... felicidade que agora, ao som dessa música, sabe a saudade... de tudo o que um dia fui.. ao som de João Pedro Pais.. agora, mais que nunca, sou UM RESTO DE TUDO o que já fui!

Vício disse...

estas palavras fizeram-me viajar até um lobo solitário...

Nilson Barcelli disse...

Andas a ser perseguida pelas coisas erradas.
Fantasmas...?
Mas o poema é bem real e está muito bom.
Beijinhos.

Dias disse...

Cool!
Adoro o tipo de discurso.

" Estão por toda a parte
De mão estendida...

Mendigos do destino
Que lhes rogou a sorte
"

Beijo vivo

Diva disse...

So que ainda nao sabem...
Maldita ignorancia!!! rasgam a morte e nem sabem...
Bjs meus

mixtu disse...

eles nada sabem.. mas deviam saber...
ou será que eles sabem?

abrazo europeo

Um Momento disse...

Não sabem... não sentem

Beijo... em ti
Bem vivo
(*)

Secreta disse...

Não sabem , ou querem fingir que não sabem pois assim é mais fácil de suportar ...
Beijito.

Sailing disse...

Lindo poema social amiga, uma reflexão que todos devemos ter sobre o estado do mundo.

Quem são estes homens e mulheres sem rosto que pedem pão, que choram lágrimas silenciosas, que dormem na rua, que morrem sem saber.

Parabens por este momento de reflexão.

Bjs

anne disse...

Olá Cleo, demoreiiii, rsrs. Estava fora da net por uns dias, descansando e curtindo também as férias. Muito comovente o poema.

Zés e marias andam pelas ruas
que lhes levam a lugar nenhum.
Zé bebe amarguras
Maria conta as ondas inúteis do seu mar

Quem será Zé? Quem será maria?
Ninguém sabe.
Nem mesmo eles sabem...

É bem assim que funciona, é aqui é aí, é lá...
Muito triste, não é? Gostei de vir te deixar também um beijo

Rosa Maria disse...

Eu li...
E agora apenas tenho vontade de te deixar um abraço...apertadinho..

MIMO-TE disse...

E são tantos! uns sabem outros não. Que triste não é, a vida devia ser sempre maravilhosa e plena para todos!

Beijos e mimos
Bom fim de Semana

MIMO-TE disse...

Esqueci de comentar a música.
Sou fã e está será uma das melhores, tenho no meu blog, mas parece vou ter que tirar. Há quem não tenha gostado, mas... vou saber o que posso fazer pq quero lá boa música. :)

Deixo mimos

as velas ardem ate ao fim disse...

Não sabem, mas sentem.

A morte cheira se ao longe.

está lindo.bjinhos

Ana S. disse...

Olá!
Venho agradecer os parabéns atrasados mas mais vale tarde do que nunca mesmooo :)
A ultima frase lembrou-me o filme "O Corvo" (cujas falas sei de cor). Há uma parte em que o Eric Draven diz: They are dead. They just don't know it. Gostei :)
Beijinhos

SAM disse...

" Vagueiam sem rumo/ Estão por toda parte/ De mãos estendidas..."

Acho que estes versos por si concluem o que penso, querida amiga. Esperam mesmo sem saber, a nossa mão amiga. Ouvimos os murmúrios, mas na verdade são gritos desesperados dos que vagueiam sem rumo.

Ótimo fim de semana, querida.

Beijos

Paula (Broken) disse...

Miga, apenas e s� mais um impulso meu :)

Igual a muitos, diferente de todos!

Para alguns, apenas mais um. Para mim, um verdadeiro "volte face".

N�o deixes de espreitar. Fica, se estiveres disposto(a) a colaborar.

http://verdades-ou-consequencias.blogspot.com

At� breve. Bjinho

Paula (Broken)

serenidade disse...

Querida amiga,
quanta verdade tem teus escrito.
Poderia divagar em volta do tema, mas apenas tenho em pensamento "há que os orientar no caminho da luz, se não soubermos como, pedir auxilio aos de luz para os encaminhar"

Bom fim de semana.

Serenos sorrisos

su disse...

Os teus fantasmas agora?! Desta vez és tu quem vive povoada e assaltada por eles?
Acabam por compreender através da tua compreensão das coisas que o melhor caminho é voltar ao passado sendo tu resgatada para o teu presente.
Tu sabes que estás viva. Com a força da PALAVRA em ti.

Um beijo GRANDE.

JuvePP disse...

OLá cleo, tens toda a razão. Por vezes estamos mais mortos vagabundos do que seres vivos. Beijos

Rosa Maria Anselmo disse...

Olá Cleo

Quantos??? São tantos!!!
lindo poema
jinhos
Rosamaria

suruka disse...

Inquietante
e belo como sempre este teu texto.

Reflectindo vou.

deixo-te beijos

" gosto das imagens, nao canso de ver. ( fonte das moscas ) onde fica? "

Maria disse...

Olá
Agora trocaste-me as voltas.
Não sei se és a minha amiga Paula,ou uma amiga da nossa amiga,ai meu Deus, não importa... Adorei o teu poema.
E rasgo a vida sem sentido na procura de mim.
Beijinhos e um sorriso.
Maria