As marcas do tempo

Tenho marcas no corpo
Feitas a contra gosto...
Em cada ano...
Um traço novo!
Qual mapa precioso
Que guarda um tesouro...
Desgastei-me aos poucos
No longo caminho da vida
Que me fugia...
Que corria sempre
Dois passos à frente!
E sorria...
E eu... envelhecia...
Não há reviravolta
Nem contravolta
Nem tampouco revolta
Sou o tempo sem volta!...

25 impulsos:

Tempo disse...

Bom... agora, ouvindo pela 2ª, vou-te comentar:

Grande Som

Ilustração lindissima

Poema Perfeito

Este é o teu melhor Post de sempre!
Parabéns miuda, a excelencia.

Beijo orgulhoso de ti

Bouquet disse...

O tempo não volta atras!
O tempo não perdoa não é assim?
O tempo deixa as marcas fisicas e psicológicas!
Intrinsecas ou não, elas permanecerão!

Algumas não se veem...sentem-se!

As marcas do tempo...por vezes por detrás de mil sorrisos...estão lá!

Deixo-te um braçado de flores...talvez
ajude a não sentir tanto as marcas do tempo...

In Loko disse...

É verdade Cleo o tempo pode parecer impiedoso, e é-o porque não pára, mas também ao deixar-nos vivê-lo é maravilhoso! E deixa marcas, muitas, nem todas boas... mas pesando bem a passagem do tempo creio que são mais as melhores marcas do que as piores, digo eu!

E boa escolha musical, acho que quando atingir os 200 anos de vida ainda hei-de ouvir Floyd com o mesmo gosto de hoje!

Beijinhos grandes Cleo...

Branca disse...

Por cada traço novo a contra gosto
aparecem uns tantos a gosto...
É certo que não podemos fazer nada contra isso,
é certo que os traços de contra gosto sempre nos vão acompanhar,
mas também temos os do gosto,
porque não olharmos antes para esses?!
Vamos tornar os de contra gostos mínimos na nossa vida, são tantas as vitórias no meio deles, vamos vê-las...
Beijinhos e bao semana :)

Diva disse...

Palavras que o tempo nao leva.
Bela imagem.
Bjs meus

Secreta disse...

O tempo não volta atrás e as marcas que deixa , são incontornáveis!
Beijito :)

Lívio disse...

Só tem um caminho: em frente e não existem obstáculos que o parem.
A vida é o tempo e todos temos um tempo de vida.
E a vida tem que ser como o tempo: em frente!

Brain disse...

E para quê a volta?
Quando se perseguiu a vida,
Com um sorriso?
Há maneira melhor de viver?
Não creio!

Poema perfeito!

Beijo.

Nilson Barcelli disse...

EXCELENTE poema.
Estás em forma... estas palavras parecem simples, mas a verdade é que não são nada fáceis de encontrar.
Parabéns, beijinhos.

VICIO disse...

o tempo é apenas o que quisermos fazer dele!
se não lhe dermos importancia, as marcas que a vida nos deixa podem ser de há um ano, um dia, um segundo... são apenas e só aprendizagem da vida! basta saber usa-las!

Lia disse...

Mas são essas marcas que te diferenciam dos demais...
que marcam os momentos pelos quais passaste...

Um beijo
Lia

P.S. Não me estragaste o sonho... o sonho existe sempre...
e não importa o que digam...
eu luto pela realização do sonho... ele vale a luta...
a luta pode é não valer o sonho... mas aí a história é outra, mas mesmo assim vou continuar a sonhar...

Fallen Angel disse...

Somos tempo sem volta sempre. Temos que viver a vida tal como ela é sem arrependimentos do que vivemos, apenas recordando esses bons e maus momentos da vida, que são sempre lições.
Um grande beijo.

lisa disse...

� bom termos marcas do tempo, isso significa que conforme se vive os momentos estes nos deixam marcas para toda a vida, marcas boas e algumas menos boas mas isso faz parte da vida.
Belo som , gostei.

Beijo.

Vity disse...

Olá,

Porque as palavras me faltam
Para transmitir a emoção
Que as tuas me provocam
Deixo-te apenas um beijo no coração

Vity

Luz&Amor disse...

Estigmas eternos...
Que a vida nos faz.
Passando pra te ler e deixar aqui um beijo e bons desejos para o findi semana.
Sempre com lindos poemas.
Bjs

Paulo Afonso disse...

É sempre um prazer, passar por aqui,
estar de volta...

Beijo AR

Daniele disse...

Querida Cleo, eu me perco nos seus versos, nesse entremeio que teces como ninguém... nesse tempo sem volta...sem revolta !

Beijos na sua alma,
Da amiga e fã
Daniele

NETMITO disse...

Hummm...gostei muito do que escreves.

)))))))))))))))))))))))))))))

Alexandre Reis disse...

Marcas de ouro?
Marcas do pó? De ouro em pó!
Rastos e rastilhos do tempo...
Cada poema aqui deixa grandes marcas!

Alex

Vertigo disse...

E como o tempo não volta,bora aí aproveitar a vida as MÁXIMO ;)

que poema lindo,querida impulsos*

Bouquet disse...

Olá Cleo vim te deixar umas flores frescas!
E aproveito e digo-te que não poderei participar além de ser nomeada para o concurso entre blogs caneta de ouro in blog 2007...mas isso não muda nada a minha opinião quero-te dizer aqui que este teu texto para mim seria o eleito...visto que não posso participar pela antiguidade na blogosfera requisitada, deixo-te um braçado de flores frescas no lugar de uma caneta de ouro!
Tá resolvido!

Menina do Rio disse...

Teno marcas em meu corpo
feitas a contra gosto
dia após dia, ano após ano
a vida sempre me fugindo
me ferindo
marcando
envelhecendo a cada passo
a não há volta...`
É amiga. São as marcas fazendo mapas onde vamos desenhando nossos sonhos...

Obrigada pelo carinho e um beijo pra ti

Sleeping_Angel.69@Hotmail.com disse...

Refugias os teus medos
aqui,
onde o vento suave te sussurra
e os sonhos constroem a esperança
que te suporta...
Aqui,
crias peças imaginárias
com vidas e receios de marionetas;
tu és as suas próprias histórias:
sem lutas, sem perdas,
mas sem conquistas de vitória...


Haverá voz de revolta
quando te encontras em ilusão?
Consciência cega, surda e muda
vive num lugar sem memória...
Haverá dor em revolta
quando o coração não sente
os gritos de solidão?
Consciência fatigada da realidade
procura um lugar de conciliação...


Na caminhada para a concórdia
criaste um lugar só teu:
um oportuno e oculto refúgio
onde pensamentos se perdem,
lágrimas se isolam
e a felicidade carece de resolução...
Quem quer habitar num mundo
como o deste aqui?

MURMURIOS disse...

As marcas do corpo não são derrota, mas significado de vida que passo a passo foi vivida.......

Dias disse...

Ainda vou acabar por imprimir este texto...

Parabéns miuda.

Beijo