Não
Não morri...

Estou aqui
Do outro lado da tela

Não me vês
Não me ouves
Mas pressentes-me...

O silêncio
... estranha-me
O cansaço
... queda-me
A razão
... enlouquece-me!

Abandono-me
Nas entrelinhas dos dias
Que passam devagar...

Será este o meu destino?
Pesa-me tanto esta pena...

Esconder-me do mundo
No vale do esquecimento
Até que o silêncio
Me emudeça de vez

Mas não
Não morri ainda!

Estou aqui
Do outro lado da tela negra
Num sítio incerto
De lugar nenhum...

Já não me reconheço
Na ausência
De mim...



34 impulsos:

o¤° SORRISO °¤o disse...

Oi Impulsos. Estava com saudades. Ainda bem que retornou de seu descanso. E agora com as energias renovadas vem com a corda toda!

Boa semana para você.

Beijos mil! :-)

...._.;_“.-._
...{`--..-.“_,}
.{;..\,__...-“/}
.{..“-`.._;..-“;
....`“--.._..-“
........,--\\..,-“-.
........`-..\(..“-...\
...............\.;---,/
..........,-““-;\
......../....-“.)..\
........\,---“`...\\
....._.;_“.-._

segredo disse...

Quantas vezes nos sentimos mortos estando vivos?
Muito bonito;)

Moon_T disse...

há muito que não passava por cá...

gostei do que li
gostei do que ouvi
gostei do que vi.
quero voltar



obrigado

littledragonblue disse...

O teu Destino é o que queres dele.
Um beijinho para ti e votos de uma boa semana

Black Rose disse...

Estás no sitio certo, tens é de o perceber...

Muito bom, muito profundo...

Por entre o luar disse...

=)

beijinhos e sorrisO*

JuvePP disse...

Olá,
Para além das ausências físicas existem as psicológicas e quase sempre, estas são mais sofridas posto que são ausências de nós, silêncios sufocantes, gritos de "silêncio". Beijinhos. Fica bem

Papoila disse...

Ol�!
H� tanto tempo que n�o espreitava o teu Impulsos!
Quantas vezes no sil�ncio ouvimos o mais fundo da alma em vez de emudecer!
Beijos

Ana S. disse...

Oi miuda! Bem vinda de volta :)

Para já tenho de dizer que adorei o video. Adoro o Corvo e não conhecia esta musica. Pouco ou nada sei sobre a banda. Apenas sei que o Valo já cantou com eles algums vezes :)

Não morreste! Ainda estás bem viva para que possas voltar a te encontrar :)
Beijos

ZeManel disse...

Olá Cleo
Obrigado pelas tuas doces e simpáticas palavras no meu espaço (vazio)...
Já te li e reli, aqui e em Coisa Pouca, mas ainda não te quero comentar... Voltarei!!!
Fico feliz por constatar o teu regresso. :))))
O teu espaço é inquestionavelmente insubstituível. Nunca nos deixes!!!
Beijinhos

Cila & Di disse...

Ainda bem que estás aí, do outro lado da tela :)
Beijos

Secreta disse...

E não há nada pior do que a sensação de não nos reconhecer-mos ...
Beijito.

Brain disse...

Em grande estilo!
Como sempre!

Mantém-te por cá!
Onde te queremos!

Um Beijo meu.

Ana P. disse...

Voltei no protege-me com um pedido de ajuda.
Beijinhos

Iana disse...

Amei ao chegar aqui e ver-te, poder ler-te novamente...

Amei o que li, uma lágrima sem eu ao menos perceber rolou em minha face de emoção pelas palavras tão fortes postadas por ti...

Senti tristeza, e ao mesmo tempo como se estivesse perdida dentro de ti...

Mais adorei saber que voltou andava mesmo com saudades...


"A maior de todas as artes é aquela que nos leva a
realizar a felicidade no espírito, pois essa felicidade
dá força e intensidade a toda nossa vida, tem o dom
de propagar-se aos que amamos e iluminar quem
caminha ao nosso lado... "

Beijos doces

Iana!!!

Carlos D disse...

Na natureza a morte
é sinal de renovação
por vezes temos
que morrer por dentro
para renovar nosso coração

bjs e um sorriso

Sandra Daniela disse...

Por vezes parece que apenas nós nos conhecemos completo, mas eis que nos surpreendemos com certas atutudes que tivemmos....

Que essa tua "morte", seja para novo renasceres!

:-)

beijinho grande!!!

SAM disse...

Querida Cleo,

quantas vezes nos sentimos ausentes, pela absurda presença que nos sublima, subjuga...


Feliz com o seu retorno, amiga! Estava saudosa.


Grande beijo e um enorme abraço

Nilson Barcelli disse...

Claro que não morreste.
A tua poesia está bem viva e recomenda-se. Excelente...!!!

Bom fim de semana, beijinhos.

Desnuda disse...

Querida, Cléo

Ótimo fim de semana, amiga!

Te espero no Desnuda!

Beijos

Jorge Cardoso disse...

não morrem as palavras que ecoam os sentimentos da poesia.

por isso cá estamos!

Beijinhos C/Carimbo...

Daniel Aladiah disse...

Querida Cleo
Diria que tens tanto de vida, que a morte só poderia ser a da tela em que te plasmaste... Olha para a rua... tanto acontece e vale a pena fazer parte disso!
Um beijo
Daniel

suruka disse...

Quem tem um espírito aberto como o teu " não morrerá ".

TheImpossiblePrince disse...

Como sempre a escrever lindamente.bjs

Menina do Rio disse...

Não se abandone nem se esconda. faça do silêncio o repouso ao cansaço...

Um beijo pra ti querida
Tem uma semana feliz

Magnolia disse...

Às sete para as cinco, aconteceu a revelação mais curta da história do Edifício Magnólia. Queres espreitar?

Som do Silêncio disse...

Bom demais voltar a ler-te...
Foi, é e sempre será leitura perfeita!

Beijo terno

FB disse...

Quem conhece a sua ignorância revela a mais profunda sapiência. Quem ignora a sua ignorância vive na mais profunda ilusão.

Dias disse...

Assim, VIVA, te gosto tanto Cleo, Impulsos, Amiga, Companheira, Poetisa!

Abraço imenso, dos que custam a largar.

su disse...

Partilho a mesma opinião da Som do Silêncio...independentemente do teor das tuas palavras...há sempre mestria nelas.
E escolheste muito bem a música para emoldurar este estado de sentimentos...estás sempre desse lado...pressentimos-te e aguardamos-te sempre.

Volta com um sorriso.
Deixo-te com um beijo ENORME!

Vanda Paz disse...

Menina

Estou com saudades...

Belo poema

Beijos

ivone disse...

de tela em tela se procura...instintivamente

excelente espaço este
uma tela a anotar...

In Loko disse...

Morta naturalmente não minha amiga... Quem escreve sentires com tanta lucidez, está bem viva! Talvez quedada por momentos, momentos de meditação e reflexão... que até são bons companheiros, ajudam a crescer e perceber o que se passa à volta, é aprendizagem, digo eu!
A nostalgia e o entusiasmo (tal como a tristeza e alegria) costumam andar de braço dado... e nem sempre o braço mais alegre nos faz companhia, mas ter esta consciência já é um grande trunfo... podemos, com o querer próprio, mudar os rumos à disposição do momento!

Muito sentido, e boa reflexão se pode fazer deste teu texto... gostei muito de o ler!!!

Beijinhos amiga

Detalhes disse...

Gostei muito!

Bjs