Havemos de nos encontrar um dia, na esplanada do entardecer, naquela mesa do canto, junto às escadas que dão para o areal da praia onde te inventei.
Levarei o meu vestido amarelo, que alguém me ofereceu em pensamento, numa das muitas vezes em que me senti uma pequena rainha, no meu reino do faz de conta...
Entrançarei os meus longos cabelos numa só trança, que se estenderá pelas minhas costas nuas, mas deixarei solta aquela madeixa branca que o tempo me ofereceu e que tu tanto gostaste aquando do meu sonho. Disseste-me até, que me dava um certo charme... um ar de mulher madura e ciente daquilo que quer. Calçarei uns sapatos vermelhos de salto alto, ainda que sejam os primeiros e últimos - algum dia teria de ser... sei o quanto gostas de apreciar a elegância feminina em todo o seu esplendor, vejo-o no teu olhar de homem de gosto refinado e sinto-o no teu querer de macho sedutor. No prazer que te dá quando olhas para trás duas ou três vezes, após te teres cruzado, por acaso, com uma mulher bonita e bem vestida, na rua.
Ainda não sei se me maquilharei, pois nunca aprendi a fazê-lo e talvez não me saia bem.
Ainda assim, encontrar-me-às de aspecto jovem, mesmo que já não o seja.
Estarei à tua espera, no sítio que te falei em devaneio, lembras-te? Aquela tal conversa que nunca chegamos a ter...
Esperar-te-ei ao entardecer de um dia de sol, que, ninguém supõe terminar em nevoeiro. Mas assim há-de ser!
Se puderes aparecer...

6 impulsos:

Paula Raposo disse...

E assim são os sonhos que viveram uma parte real na minha vida...beijos.

Carla disse...

aparecerá certamente para esse entardecer mágico
beijos

ZeManel disse...

Quiçá...?
Escreves lindamente!
Bjs :)

JuvePP disse...

Oi Cleo,
Continuas a marcar encontro com a poesia.Eu embevecida, volto sempre para me encontrar com a beleza do teu canto. Cada vez mais, a palavra, nos teus poemas ganha beleza metafórica, uma estética em que a palavra surge qual diamante trabalhado e esculpido até encontrar uma finigrama de sentidos infindáveis e profundamente significativos no dizer das coisas da alma humana.
Beijos e obrigada

as velas ardem ate ao fim disse...

vai aparecer!

um bjo

Manuela Fonseca disse...

Olá Cleozinha,

Simplesmente belo! Apetecido de reler...

Beijinho*