Esta ânsia
Que me despertou
E me arrancou
Aos braços de um sono profundo
No qual
Prostrado
Sob as tábuas apodrecidas
P'lo tempo errante
E sem retorno

Onde me deitara esgotado

Jazia...

Numa campa fria
Qual cama desfeita
De sonhos
Onde só o corpo decadente
Ainda permanecia...


Sem alma
Sem vida
Ao rude abandono
Esquecido de tudo e de todos
Até de mim próprio...


Esta ânsia
Qual aranha venenosa
Que me picou
E me infectou o sangue
Que agora me corre louco
Nas veias

Esta ânsia
Que me desassossegou...


Ah! Bendita cura milagrosa
Que me ressuscitou
E me devolveu
O sentido da vida


Há tanto tempo
De mim
E por mim

Perdido...

13 impulsos:

vício disse...

a cura milagrosa só serve quando o doente se quer curar...

susaninha disse...

Ânsia maldita que a cura bendita devolveu...
Vive loucamente como o sangue que te corre nas veias.

Olha como o sol está lindo, beijinhos

João Videira Santos disse...

"...há tanto tempo de mim e por mim perdido..."

Gostei.

(Peço desculpa.mas..."deletei" o mail com o endereço. Pode repetir?
Agradeço.)

Beijo

Nilson Barcelli disse...

Está na hora de recuperar o tempo perdido, ainda que de facto ele seja irrecuperável.
Mais um belo poema, triste no início, mas positivo no final.
Gostei muito.
Beijo.

bARAUJO disse...

as ânsias... tornam-se armas que se viram contra nós mesmos... temos de saber lidar com elas, saber domar... e vencê-las...

as velas ardem ate ao fim disse...

"...há tanto tempo de mim e por mim perdido..."

é não é??

um bjo

O Profeta disse...

Palavras com invulgar profundidade poética...


Doce beijo

segredo disse...

fiquei encantada com tuas palavras... beijinho*.*

Som do Silêncio disse...

Olá :)

Mais um texto repleto de qualidade, ou seja, muito teu!

Gostei muito!

Som

missixty disse...

Para começar gosto muito da música que tens no blog!
Quanto ao post, boa selecção de imagem e um poema espectacular!
Vem ver a minha entrevista nos bastidores do Fantasporto!

António MR Martins disse...

Mais um belíssimo poema.
Gostei imenso.
Beijinho
António MR Martins

Oliver Pickwick disse...

Nebuloso e quase gótico. Mas nem por isso menos bonito.
Um beijo!

Menino-Homem disse...

é singular tua obra...
"crava forte no peito"

Beijos Amor

Fica com Deus...