Invisívelmente à vista...


Olha... estou aqui!
Não me vês? Talvez não...
Sou apenas mais uma entre tantas outras por quem passas sem reparar...
Um vulto que se move no meio da multidão.
Uma alma errante que vagueia pelo espaço saturado...
Fazemos o mesmo trajecto de ida e volta, na mesma carruagem apinhada de gente.
Por vezes sentados lado a lado... ou frente a frente...
E nem sabes que existo... que te acompanho em mais uma viagem...
Mais logo, ou amanhã... daqui a uns dias... olho em redor e dou de caras contigo.
Olhas... mas não me vês...
Viras o rosto para a janela e perdes-te em pensamentos vagos...
E eu... sou só um vulto que se funde com as sombras da paisagem...

10 impulsos:

SONY disse...

Só te irá "ver" com olhos de "ver" quem algum dia te merecer!
Se não te "vê" ...com certeza não te fará falta!
Um bj Sony

Dias... disse...

Temos esta capacidade de impedir os olhos de verem. É uma defesa da sanidade que nos castra os impulsos.
Gostei do Poema.

as velas ardem ate ao fim disse...

Sozinhos na muitidão dos dias.


bjos E

Kianda disse...

E qts multidoes buscam o nosso olhar, a nossa atenção, o nosso pensamento.. enquanto nos perdemos em pensamentos vagos que buscam os sonhos de uma só pessoa.. da multidão.. de 1 multidão!

Plum disse...

Por vezes não conseguimos ver aquilo que está mesmo à nossa frente...sei qual é a sensação!Abraços!*

Luna disse...

Assim andamos no mundo sem nos verem
ji

Bia disse...

nem sempre vemos ou somos vistos...
pois até para vermos o nosso coração precisa de espaço e estar disponível...
beijo

Brain disse...

Há multidões que nos isolam.
Há olhos que não nos vêm.
Há vidas que nos passam.
Há ...

Saibamos nós,
Sobressair do mar da humanidade,
Pelo que somos,
E fazemos,
Para que sejamos notados!

Impulsos...
Muito Bom!

Beijo.

A.S. disse...

Um dia os olhos deixarão de ver apenas sombras e as mãos irão encontrar-se numa caricia...


Um terno beijo!

Rui @t Blog disse...

Lindíssimo este texto.