Quebrei a promessa que fiz naquela noite, a última em que nos vimos ainda em vida e nos despedimos em silêncio só com o olhar... lembras-te?

Foram tão breves os instantes que tivemos na nossa despedida, antes que o efeito daquele veneno letal que me deste a beber do teu cálice, começasse a fazer efeito. Mas foi o tempo suficiente para que as nossas almas fizessem um pacto de fidelidade até ao infinito dos tempos, enquanto o tempo for tempo e o azul do céu continuar a espelhar-se nas águas dos mares...
Enquanto as lembranças da nossa curta existência, não forem apagadas da mente de quem de nós se lembre de tempos a tempos e que esse acto de pensar, lhes provoque um misto de choque e saudades...


Ainda tenho no pensamento todas as palavras que te queria dizer naquele momento, mas que ficaram presas na garganta, afogadas pelo nó daquela corda invisível, que me sufocava até ao limite das minhas forças, não me deixando solta-las como era da minha vontade.

Assim, partiste sem ouvir [sem quereres ouvir], o segredo que eu tanto te queria dizer ao ouvido...

Chegados aqui, a este martírio que não é céu nem inferno, arrancaram-te de mim, dos meus braços onde te tinhas aninhado naquela noite e arrastaram-te pelo chão, até que te fui vendo desaparecer cada vez mais longe e sem te poder salvar.

Hoje sei o porquê.

Foi a sentença que te foi aplicada no dia do juízo final!

Porque foste tu o culpado da nossa morte prematura... foste tu quem me convenceu a vir contigo. E tudo porque não suportavas a ideia de partir e me deixar à mercê de outros amores, que não o teu.

Hoje quebrei aquela promessa que tinha feito a mim própria, por me teres interrompido a vida que eu tanto gostava de viver.

Estou aqui... vim para te ver!
Mas não me peças para te perdoar...


28 impulsos:

antónio paiva disse...

...

o meu impulso deixa-te um abraço.

:)

Vanda Paz disse...

Muito bonito

Beijo

Gothicum disse...

"Quanto mais eu vivo, mais eu percebo o impacto da atitude na vida. Ela é mais importante que o passado, que a educação, que o dinheiro, que as circunstâncias, que os fracassos, que os sucessos, e do que as outras pessoas pensam, dizem, ou fazem. "
(Chuck Swindoll)

...às vezes o perdão é a melhor luz para o nosso caminho! Abraços.

Bill Stein Husenbar disse...

Belo.

Nesta época natalicia, desejo um Feliz Natal recheado de momentos bons e e inesqueciveis na companhia dos que mais ama. Que a alegria e a esperança s espalhe e se concretizem no coração de cada um de nós.

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/

Hermínia Nadais disse...

Simplesmente... maravilhoso!
Beijo

Gata Verde disse...

Fantástico...já pensas-te escrever um livro?

Beijocas Natalícias...

Nilson Barcelli disse...

Este teu belíssimo texto é uma espécie de vingança, mas perdoar é sempre o melhor...
Para além disso, a eternidade só existe no presente.
Gostei imenso.
Boa semana, beijinhos.

escarlate.due disse...

poucas vezes gosto de textos que assentem em morte... mas este...

beijinhossssss

Gleidston dias disse...

Um texto escrito em cima da defesa do perdão, belo na sua leitura por que inspira seguir em diante no ato de perdoar.

otima semana pra voce.

beijo!

ci disse...

Por vezes perdoar é mesmo impossível...

beijo da ci

Luis F disse...

Lindo texto amiga... gostei de te ler e de conhecer esta tua vertente.

Como gosto de passear aqui e navegar neste teu belo mundo de encanto.

Com amizade
Luis

as velas ardem ate ao fim disse...

Confessoq ue ler te foi doloroso...por muito que me revi, por muito que sofri, por estar spre muito sozinnha.

Nao importa o que se ama.
Importa a matéria desse amor.
As sucessivas camadas de vida que se atiram para dentro desse amor. As palavras são um principio - nem sequer o principio. Porque no amor os principios, os meios, os fins são apenas fragmentos de uma historia que continua para la dela, antes e depois do sangue breve de uma vida. Tudo serve a essa obsessão de verdade a que chamamos amor. O sujo, a luz, o espero, o macio, a falha, a persistencia.
[Ines Pedrosa-Fazes me falta]


um bjo

Free disse...

Por vezes há promessas que devem ser quebradas antes que nos quebrem a nós.
Há algum tempo que sigo o seu blog mas hoje resolvi comentar, também porque vim dizer que a vou linkar no meu blog, espero que não se importe.

irineu xavier cotrim disse...

o seu blog esta vislumbrante. gostei? Não. Gostei muito.

irineu xavier cotrim disse...

o seu blog esta vislumbrante. gostei? Não. Gostei muito.

Carlos D disse...

uma escrita inebriante
que me faz sempre ler mais,
me faz descobrir que as promessas
se quebram com o tempo
mas o tempo não faz esquecer.

bjs e um sorriso

Anónimo disse...

Nesta época natalicia envio votos de um feliz natal com muita alegria e muita saude junte de quem mais dezejar são os votos de um amigo.

blog voz do Goulinho
Antonio Assunção

JuvePP disse...

Olá Cleo,
Adorei o poema. A dor da indiferença do outro, por um amor sem limites. Uma dádiva assim não se renega mas se calar o outro estará aprisionado a outras correntes e como tal cego para o amor do sujeito poético magoado com tanta indiferença. Ainda asim acredito na capacidade de perdão do sujeito poético. Adorei. Beijinhos grandes

Carla disse...

mais do que a morte física...a morte de um sentir. Qual será mais dolorosa?
beijos...e adorei

O Profeta disse...

Sabia apenas que era um pequenino naquela longa noite
No celeste um luminoso sorriso me chamava
Lançou-me aos olhos raios de deslumbrante luz
Era a minha prenda, uma brilhante…Estrela Alva…



Um Mágico Natal para ti querida amiga que ao longo deste ano me visitaste. Que a Estrela Alva te ilumine neste Natal.






Mágico beijo

ZeManel disse...

Cleo
Constato que cada vez escreves melhor!
"...
Estou aqui... vim para te ver!
Mas não me peças para te perdoar..."
O tempo pode-nos trazer a saudade,
nunca o esquecimento,
o perdão, às vezes...
Beijos

Nilson Barcelli disse...

Bom fim de semana e um feliz Natal, para ti e para a tua família.
Beijinhos.

Andreia disse...

A indiferença é por vezes a pior coisa que pode ser feita. O perdão pode ser conseguido, mas não traz o esquecimento.

Beijo*

SAM disse...

Belíssimo, como sempre amada Cleo!


Com imenso carinho te desejo um feliz natal e para todos os seus familiares.


Grande beijo!

SAM disse...

Belíssimo, como sempre amada Cleo!


Com imenso carinho te desejo um feliz natal e para todos os seus familiares.


Grande beijo!

Profº. Eric Frantto disse...

O que dizer?

Impulsionante!

Bill Stein Husenbar disse...

Todos podemos desculpar mas, perdoar é um nivel muito acima de nós.

Maravilhosas palavras.

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/

Menina do Rio disse...

A força do pensamento

A minha sugestão para estes tempos é:
Vamos doar-nos mais e diminuir o individualismo!
Que tal, um pouco mais de atenção aos filhos, aos
companheiros(as), aos almoços de domingo, menos
eu e mais "nós"?
Prega-se tanto amor, mas cada um só vê o seu
desamor; todos correndo numa busca louca de ter,
que acabamos por esquecer-nos de "ser".
Já viram um Maracanã lotado em dia de clássico?
Existe no futebol o chamado "inconsciente coletivo"
Esse "inconsciente" é capaz de virar um jogo!
Então imaginem 10 mil Maracanãs cheios! E o inconsciente
coletivo dessa torcida toda; uns pelos outros!
Não só em tempos natalinos, mas em todos os dias
de nossas vidas! Se é verdade que a FÉ move montanhas,
então imaginem do que somos capazes se direcionarmos
nosso "inconsciente coletivo" uns aos outros; se
"crermos" e agirmos conforme essa crença.
Podemos fazer a diferença...

Esses são os meus votos de Natal!
Beijinhos
(Verô)


"Nenhum homem é uma ilha, isolado em si mesmo;
todos são parte do continente." (John Donne)